Grande Futebol
"Estados Unidos é teste à capacidade de superação da seleção"
2021-06-09 08:30:00
Portugal defronta EUA a partir das 01h38 (hora portuguesa), no estádio Lincoln Financial

A internacional portuguesa Dolores Silva considerou hoje que é um privilégio defrontar uma seleção como a dos Estados Unidos, que é campeã mundial, e um teste à capacidade de superação das futebolistas portuguesas.

“Para nós, é um privilégio disputar jogos deste nível. São desafios que vão testar a nossa capacidade de superação enquanto grupo. No início da próxima época, vamos ter o apuramento para o Mundial2023 e é importante afinar procedimentos antes das férias”, disse a centrocampista do SC Braga, no lançamento do jogo de quinta-feira frente à seleção norte-americana.

A seleção portuguesa de seniores femininos efetuou hoje um treino em Houston, no estado do Texas, cidade onde vai defrontar a sua congénere dos Estados Unidos, a partir das 01h38 (hora portuguesa), no estádio Lincoln Financial.

Dolores Silva está consciente do grau de dificuldade que o jogo representa para a seleção portuguesa, tendo em conta o poderio do seu adversário.

“Vai ser um jogo de máxima exigência para nós. Temos pela frente as campeãs mundiais, com jogadoras excecionais, que são referências no futebol feminino. Além disso, estamos em momentos de época opostos. Nós vamos encerrar uma temporada desgastante, elas estão no começo da época e em busca da melhor forma para os Jogos Olímpicos”, disse.

Além deste jogo frente às atuais campeãs mundiais, Portugal irá defrontar a seleção da Nigéria no próximo dia 13 de junho e Dolores Silva considera ser “muito importante” para a evolução das jogadoras lusas “disputar jogos deste nível, que vão testar a capacidade de superação da equipa enquanto grupo e permitir afinar procedimentos antes das férias”, tendo em conta que a fase de apuramento para o Mundial 2023 marcada para o início da próxima época.

A possibilidade de estarem 20 mil adeptos na bancada do estádio Lincoln Financial é mais um estímulo para Dolores Silva.

“Essa imagem só me deixa entusiasmada. Depois de um ano tão atípico e com bancadas vazias, é uma alegria jogar com público no estádio. É bom sentir os adeptos a vibrar com o jogo, seja para que lado for. Nós só temos saudades dessa normalidade”, assumiu.

Os dois jogos em Houston, frente aos Estados Unidos e à Nigéria, opositor que nunca defrontou, servem para Portugal preparar a fase de qualificação do Mundial2023, que terá início em setembro, frente à Turquia, no dia 16, e a Israel, no dia 19, ambos fora de casa.

A seleção portuguesa vai procurar conquistar um lugar no próximo Mundial inserida num grupo com as seleções da Alemanha, da Sérvia, da Turquia, de Israel e da Bulgária.