Grande Futebol
“Criou-se um caos em torno de uma mentira”, contesta Paulo Fonseca
Redação
2021-04-08 23:20:00
Treinador da Roma revoltado com as "incríveis mentiras" sobre uma alegada rebelião do plantel

A vitória da Roma na visita ao Ajax, para a primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, permitiu ao treinador Paulo Fonseca dar voz à revolta, depois de ter sido noticiado pela imprensa italiana que o técnico teria sido contestado pelos próprios jogadores. “Esta semana criou-se um caos em torno de uma mentira”, reagiu Paulo Fonseca, que receberia depois o apoio de Tiago Pinto, o diretor desportivo da Roma.

“Tenho de fazer o meu trabalho, não posso controlar as críticas. O que me deixa desapontado é quando são mentiras e ultimamente têm sido várias”, começou por desabafar Paulo Fonseca, em declarações à à Sky Sport Italia, após a partida com o Ajax: “Não sou italiano, por isso não entendo por que a Roma, que é a única equipa a representar Itália na Europa, tem de estar rodeada por todas estas incríveis mentiras”.

“Neste momento, deveríamos estar todos juntos a encorajar e ajudar a única equipa italiana, mas esta semana criou-se um caos em torno de uma mentira, na ideia de que os jogadores me confrontaram e tiveram um encontro qualquer antes do jogo. É tudo mentira, não sei como é possível fazer-se isto. Não há seriedade quando se escreve dessa forma. Mas não posso controlar nada disso, apenas posso controlar o meu trabalho e é isso que tenho feito”, reforçou o técnico.

Logo de seguida, o diretor desportivo da Roma, Tiago Pinto, saiu em defesa de Paulo Fonseca, salientando não entender a “insistência” nos rumores sobre um iminente despedimento do treinador. “O que importa é o presente, o futuro da Fonseca não está ligado a esta partida. Não compreendo esta insistência no treinador. Há muitos treinadores em Itália cujos contratos estão a expirar. Neste momento estamos unidos e concentrados em obter grandes resultados”, comentou Tiago Pinto, também à Sky Sport Italia.

Garantindo que a continuidade de Paulo Fonseca não depende do apuramento para a meia-final da Liga Europa, o diretor da Roma afirmou que o problema do clube não está na equipa técnica, mas na falta de uma “cultura de vitórias”. “Precisamos de algo muito simples: ganhar. Isso implica ganhar hoje, amanhã e depois. Não apenas ganhar jogos, mas também melhorar a mentalidade e ser ainda mais fortes de forma constante. Estamos a trabalhar na mentalidade em mesmo que os resultados não sejam bons agora, temos a certeza de que serão no futuro”, concluiu Tiago Pinto.