Grande Futebol
"Conceição apanhou do chão as peças do recente episódio explosivo"
Redação
2021-04-07 12:35:00
Imprensa inglesa apresenta treinador do FC Porto aos britânicos

A poucas horas de FC Porto e Chelsea começarem a discutir uma vaga nas meias-finais da Liga dos Campeões desta temporada, a imprensa britânica apresenta aos ingleses o emblema dos dragões, com destaque para Sérgio Conceição que, entre elogios, é descrito como tendo um temperamento "explosivo". E o recente episódio com Paulo Sérgio no Algarve - uma terra querida para o povo de terras de Sua Majestade - não é esquecido.

"Conceição esteve a apanhar do chão as peças do mais recente episódio em que o seu temperamento explosivo veio à tona", conta o The Guardian, aludindo à confusão que Sérgio Conceição e Paulo Sérgio, treinador do Portimonense, protagonizaram ainda antes da paragem do campeonato para os jogos internacionais das seleções. O The Guardian salienta também que Sérgio Conceição montou no Dragão "uma equipa difícil com recursos escassos", mas insiste que teve, recentemente, "um contratempo que destacou sua natureza explosiva".

Na apresentação que é feita do FC Porto é lembrado o percurso no campeonato, onde é referida a liderança do Sporting, que deixa os portistas mais longe do ambicionado título de campeão português. "Com o ressurgimento do Sporting, ainda invicto, distanciado no topo da tabela da I Liga, tornando improvável ao FC Porto manter o título, a primeira mão do confronto desta quarta-feira com o Chelsea - um clube com o qual os campeões portugueses têm mantido fortes ligações desde José Mourinho - deveria ter monopolizado as manchetes."

Para o The Guardian fica claro que "a maior parte da Europa acredita que os londrinos têm embate de sonhos contra o FC Porto". Mas este prestigiado jornal britânico destaca que o FC Porto pode causar problemas aos ingleses e até são lembradas palavras de Conceição quando o treinador do FC Porto referiu que os jogadores são privilegiados em tempo de pandemia e não se devem queixar do calendário preenchido.

"Conceição manteve a vida real na vanguarda da sua consciência - e da sua equipa -, lembrando constantemente os seus jogadores, e até publicamente, em face do ritmo implacável do calendário, que eles têm sorte em comparação com muitos", conta o The Guardian, recordando uma entrevista mais pessoal que Sérgio Conceição deu à RTP e onde falou sobre as dificuldades que enfrentou em criança. 

O espírito mais solidário de Sérgio Conceição é também realçado pela imprensa britânica, destacando-se os apoios que o treinador do FC Porto tem dado para ajudar famílias carenciadas nestes que têm sido momentos delicados para a humanidade. Mas no que ao futebol propriamente diz respeito, o The Guardian lembra que Sérgio Conceição, de 46 anos, "mostrou-se entusiasta como jogador e está a prová-lo como treinador", estando pela "terceira vez em quatro temporadas" com o FC Porto na Champions "para lá da fase de grupos".

"Conceição precisava de toda a sua fé para assumir o cargo em 2017. Marco Silva foi sondado e rapidamente decidiu-se por um regresso à Premier League. O telefonema de casa [FC Porto] para Sérgio Conceição e a chance de estar com a sua esposa, então doente, foram atendidos", conta o The Guardian, explicando aquilo que Sérgio Conceição tem oferecido ao futebol dos azuis e brancos. "Fazendo as coisas e recuperando, Conceição deu ao FC Porto uma dureza e uma fisicalidade incomuns no futebol português. Apesar das críticas, comparem os recursos de que dispõe com os oferecidos a Mourinho, André Villas-Boas ou mesmo Jesualdo Ferreira. Não há Hulk, James Rodríguez, João Moutinho, Deco ou Lisandro López neste plantel".

Depois de serem destacados os campeonatos que venceu ao serviço do FC Porto e o que lhe escapou na época de Bruno Lage no Benfica, o The Guardian faz referência ainda à aposta que Sérgio Conceição tem feito no filho Francisco. "Francisco estreou-se de forma deslumbrante no clássico com o Boavista em fevereiro, quatro dias antes de uma participação especial na primeira mão frente à Juventus. Os companheiros apelidam-no de 'Messi do Olival'."