Grande Futebol
Bruno de Carvalho desvenda plano que Benfica tinha para entrar na Superliga
Redação
2021-04-23 12:20:00
Ex-presidente do Sporting recorda transferência de Renato Sanches para Munique e os estágios nos EUA

Bruno de Carvalho diz que o clube português que tentou fazer parte da Superliga Europeia, e que anteriormente não desvendou o nome, era "o Benfica". O antigo presidente do Sporting revela que os estágios realizados pelo emblema encarnado nos EUA faziam parte de uma estratégia do clube liderado por Luís Filipe Vieira para entrar no lote de equipas selecionadas para esta liga privada. Bruno de Carvalho explica que durante os anos em que liderou o Sporting se deu conta destas movimentações. "O Benfica tentava ser um dos 15 selecionados. Os estágios, tão criticados internamente pelos seus treinadores, nos EUA, em 2015, 2018 e 2019, fizeram parte dessa estratégia".

O ex-líder leonino revela que a Superliga Europeia, agora tão criticada, e que levou ao abandono de grande parte dos seus criadores, começou a ser desenhada na Alemanha. "O grande impulsionador foi Karl-Heinz Rummenigge, do Bayern Munique. Estavam também na linha da frente Milão, Inter de Milão e Juventus. Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid. Manchester United, Manchester City, Chelsea, Liverpool e Arsenal. PSG e Mónaco estavam em boa posição".

Bruno de Carvalho revela que a Superliga Europeia tinha, por princípio, uma lógica de ser jogada por todo o mundo mas, realça, que os bávaros queriam comandar esta nova competição e detalha que chegou a existir uma aproximação entre Bayern e Jorge Mendes que, diz Bruno de Carvalho, também entrava nesta equação. 

"O Bayern queria liderar e presidir esta Superliga e o passo dado em relação ao 'super agente' foi dado em maio de 2016. Nesse dia, Renato Sanches assinou contrato de cinco anos pelos bávaros, na maior transferência de sempre, na altura, de um português para o futebol estrangeiro. Foram 35 milhões de euros, podendo o Benfica ainda receber um bónus de 45 milhões de euros dependendo das atuações do jogador."

Sobre o tema da Superliga, recorde-se, o Benfica já esclareceu que são "inteiramente falsas as informações publicadas" a respeito de "pretensas negociações tendentes a uma participação na Superliga Europeia", reiterando, mais uma vez, a sua "total oposição ao projeto".

Em entrevista ao Rugido Leonino, Bruno de Carvalho insiste que essa transferência da Luz para Munique foi uma espécie de 'sedução' feita entre as partes para dar seguimento à Superliga Europeia que, para o presidente da LaLiga, Javier Tebas, é "uma Superliga Powerpoint. Não há dinheiro para pagar aqueles valores". No entanto, diz o ex-líder verde e branco, as partes foram-se afastando.

"Pelo caminho Jorge Mendes não viu a sua influência na Alemanha a aumentar, antes pelo contrário, e Rummenigge começou a ver que os seus 'colegas' de Superliga preferiam Florentino Pérez para os liderar". E quanto ao Benfica, deixou de fazer parte das contas desta liga privada já que "o Benfica nunca foi considerado".

A Superliga foi revelada oficialmente no início da semana mas rapidamente se tornou polémica, gerando reações adversas de várias partes, com especial destaque para os adeptos ingleses e treinadores como Guardiola e Klopp. Bruno de Carvalho entende que neste processo "os poderosos tentaram dar um murro na mesa, mas a mesa partiu". Mas admite que estes não tenham desistido da ideia. 

"Este foi apenas o primeiro round. Mendes e os 12 'ricos rebeldes' já estão a preparar o round seguinte", avisa Bruno de Carvalho, ciente de que os clubes que ainda fazem parte da Superliga vão alinhar estratégias e planos para que o próximo passo não possa cair por terra.

O presidente do Real Madrid e da Superliga, Florentino Pérez, já declarou ter ficado “triste e dececionado” com a suspensão da nova competição europeia de futebol, mas também “surpreendido” com a campanha orquestrada pelo presidente da UEFA.