Grande Futebol
Bayern na final do Mundial ao bater Al-Ahly com 'bis' de Lewandowski
Redação
2021-02-08 20:10:00
Alemães conquistaram a prova em 2013 após duas vitórias na Taça Intercontinental

O polaco Robert Lewandowski exibiu hoje as ‘credenciais’ de melhor futebolista do mundo e ‘bisou’ na vitória do Bayern de Munique sobre o Al-Ahly, por 2-0, que permitiu aos alemães apurarem-se para a final do Mundial de clubes.

Ao contrário do que aconteceu com o Palmeiras, que na véspera perdeu diante do Tigres (1-0), o campeão europeu não se deixou surpreender pelo adversário, confirmando o favoritismo e exercendo absoluto domínio sobre os campeões africanos.

No Estádio Ahmed bin Ali Stadium, no Qatar, Lewandowski voltou a mostrar o porquê de ter sido eleito o melhor jogador do mundo em 2020, inaugurando o marcador aos 17 minutos, numa das várias jogadas de insistência dos bávaros no arranque da partida.

Embora extremamente abnegados e a tentar impor alguma velocidade nas saídas, os egípcios revelaram pouquíssimo discernimento quando tinham a bola, usando e abusando da habilidade técnica que lhes é reconhecida, mas quase sempre sem objetividade.

De tal forma, que o Bayern tornou esta meia-final um verdadeiro ‘exercício’ de finalização, tantos foram os remates – mais de 20, mas nem todos enquadrados – à baliza do Al-Ahly, emblema que tentava atingir a decisão da prova pela primeira vez.

Marc Roca, Alphonso Davies ou Thomas Müller estiveram envolvidos em algumas das melhores ocasiões de golo construídas pelos germânicos, mas sem os efeitos desejados para a formação comandada por Hans-Dieter Flick.

Contudo, quem conta com Lewandowski nas suas ‘fileiras’ ficará sempre mais próximo de marcar e foi isso mesmo que sucedeu, novamente, já perto do final do encontro, quando o internacional polaco deu a melhor sequência a um cruzamento de Leroy Sané e fixou o resultado, aos 86 minutos, anotando o 29.º golo da temporada e o 275.º em 316 jogos pelo hegemónico campeão alemão.

O Bayern, que teve o jovem médio português Tiago Dantas no banco de suplentes, vai disputar, pela segunda vez, a final do Campeonato do Mundo de clubes, depois de ter vencido a edição de 2013, então diante dos marroquinos do Raja Casablanca (2-0).

Os bávaros, que contam no currículo com duas conquistas da Taça Intercontinental, prova que antecedeu o Mundial, em 1976 e 2001, vão disputar a decisão na quinta-feira, a partir das 18:00 (hora de Lisboa), diante do estreante Tigres, que no domingo superou o Palmeiras, treinado pelo português Abel Ferreira.

O conjunto mexicano venceu os brasileiros por 1-0, graças a um penálti do experiente avançado francês André-Pierre Gignac, e tornou-se a primeira equipa da CONCACAF a chegar à final.

Também na quinta-feira, o Al-Ahly vai discutir com o Palmeiras o jogo do terceiro e quarto lugares, às 15:00.