Grande Futebol
Arsenal pode perder principais figuras a custo zero mas Wenger está descansado
2017-07-31 20:00:00
Chamberlain, Özil e Alexis Sánchez são três dos oito jogadores do Arsenal que terminam contrato no final da temporada

Entrar na temporada com os jogadores mais valiosos do plantel a cumprir os seus últimos meses de contrato pelo clube não é uma situação habitual. Em clubes de nível internacional, como é o caso de, por exemplo, o Arsenal, muito menos. Alguns poderão até apelidar a situação de amadorismo e um exemplo de má gestão desportiva. A verdade, porém, é que tanto Mesut Özil como Alexis Sánchez estão nessa situação. Em 2017/18, o Arsenal entra na nova temporada sabendo que os seus dois jogadores mais valiosos irão terminar contrato no final da época. Wenger desvaloriza e refuta alarmismos. 

Alexis Sánchez, Mesut Özil, Alex Oxlade-Charmberlain, Santi Cazorla, Jack Wilshere, Carl Jenkinson, Joel Campbell e Kieran Gibbs. São oito os nomes da primeira equipa do Arsenal que entram em 2017/18 nos últimos meses de contrato com o clube londrino. Segundo o portal Transfermarkt, barómetro interessante para aferir o valor de mercado de jogadores de futebol, Alexis Sánchez e Mesut Özil são mesmo os dois jogadores mais valiosos do futebol mundial que entram em 2017/18 no último ano de contrato com o clube ao qual estão contratualizados. Dos oito jogadores em final de contrato com o Arsenal, pelo menos seis foram presença regular na equipa de Arsène Wenger nas últimas temporadas. O técnico francês, porém, desvaloriza a situação e assegura que no futuro, a mesma, será uma recorrência no futebol mundial. 

A situação foi abordada ontem em conferência de imprensa referente à Emirates Cup que o Arsenal venceu e que contou com a presença do Benfica. Quando confrontado com a questão de tanto Alexis Sánchez como Mesut Özil entrarem na nova época em final de contrato com o Arsenal, Wenger desvalorizou e previu mesmo que, nos próximos dez anos, a situação tornar-se-á habitual e transversal aos grandes clubes europeus. Segundo o técnico francês, atualmente, não só os jogadores estão numa situação financeira tão confortável e tão elevada que nenhum clube conseguirá atrai-los salarialmente até que os mesmos terminem os seus vínculos, como os valores de transferência, cada vez mais altos, irão diminuir as transações entre clubes e irão fazer aumentar o número de transferências efetuadas em jogadores em final de contrato. O técnico francês disse ainda acreditar que o facto de um jogador estar no último ano de contrato até o poderá motivar a jogar o seu melhor futebol de forma a mostrar-se a outros clubes que possam estar interessados na sua contratação.  

Todas as temporadas, em praticamente todas as equipas de futebol, é certo que pelo menos um par de jogadores entrará na época em final de contrato. Raramente, porém, a situação é tão delicada quanto aquela que o Arsenal enfrentará esta temporada. O dilema para Wenger é complicado: perder já alguns dos seus jogadores mais importantes mas minimizar o investimento feito nos mesmos recebendo algum dinheiro com a transferência dos mesmos ou assumir o risco de os mesmos saírem livremente no final da temporada mas tentando lucrar desportivamente com os referidos jogadores.  

Se Alexis Sánchez parece determinado em forçar a sua saída já neste mercado de transferências, Wenger não se mostrou preocupado que qualquer um dos restantes sete jogadores saia livremente do clube no final da temporada. O técnico francês disse mesmo não entender onde possa estar a polémica e que o facto de os atletas estarem em final de contrato não significa necessariamenque que os mesmos deixarão o clube no final da época. Pela Europa do futebol, em cada temporada, são vários os jogadores que entram na época em final de contrato e 2017/18 não é exceção. Contudo, raramente algum clube entrou na temporada com tantos jogadores fulcrais em final de contrato como o Arsenal entra esta temporada.  

Agosto será decisivo para o Arsenal e só após o fecho do mercado de transferências se perceberá, afinal, qual a ideia do clube: vender peças chave e minimizar os danos económicos numa temporada em que o clube não tem, sequer, receitas provenientes da participação na Liga dos Campões ou assumir o risco de perder as principais peças do plantel no final da temporada mas não comprometendo a competitividade da equipa de forma a tentar regressar ao Top-4 perdido na temporada passada.  

Os onze jogadores mais valiosos em final de contrato 

1º Alexis Sánchez (Arsenal) 

2º Mesut Özil (Arsenal) 

3º Isco (Real Madrid) 

4º Blaise Matuidi (PSG) 

5º Ander Herrera (Manchester United) 

6º Juan Mata (Manchester United) 

7º José Giménez (Atlético Madrid) 

8º Stefan de Vrij (Lázio) 

9º Keita Baldé (Lázio) 

10º Ross Barkley (Everton) 

11º Leon Goretzka (Schalke 04)