Grande Futebol
Arsenal, Liverpool, Tottenham e United também confirmam saída da Superliga
Redação
2021-04-20 23:20:00
Quarteto segue os passos do Manchester City e apenas falta uma posição oficial do Chelsea

Os clubes ingleses Arsenal, Liverpool, Tottenham e Manchester United anunciaram, na terça-feira, em comunicados, que também vão abandonar a Superliga europeia de futebol, anunciada na noite de domingo, seguindo o exemplo do Manchester City.

Os 'citizens' anunciaram anteriormente que já tinham iniciado formalmente o procedimento para se retirarem do grupo responsável pelo desenvolvimento do projeto da Superliga europeia, tendo agora sido seguidos por mais estes quatro clubes ingleses, estando ainda na calha a eventual saída do Chelsea.

"Após vos termos escutado (adeptos), bem como à comunidade alargada do futebol, nestes últimos dias, retiramo-nos da Superliga. Cometemos um erro e pedimos desculpa por isso", pode ler-se num Twitter dos 'gunners'.

Já o Manchester United dá conta de que não vai participar na Superliga e sublinha que tal se deve "à reação dos adeptos, do governo britânico e de putras partes importantes.

"O Liverpool pode confirmar que a sua implicação no projeto da Superliga europeia foi interrompido", revelam os 'reds' no seu comunicado, enquanto o Tottenham reagiu pelo próprio presidente, Daniel Levy: "Lamentamos a ansiedade e os constrangimentos causados por este projeto da Superliga europeia. Pensávamos que seria importante o nosso clube participar no desenvolvimento de uma possível nova estrutura."

Com o anúncio destes abandonos, e contando com uma eventual saída do Chelsea, restarão na Superliga apenas seis dos primeiros 12 clubes anunciados: Real Madrid, Barcelona, Atlético Madrid, AC Milan, Inter de Milão e Juventus.

No domingo, AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, FC Barcelona, Inter Milão, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham anunciaram a criação da Superliga europeia, à revelia de UEFA, federações nacionais e vários outros clubes.

A competição previa ser disputada por 20 clubes, 15 dos quais fundadores – apesar de só terem sido revelados 12 – e outros cinco, qualificados anualmente.

A UEFA anunciou que vai excluir todos os clubes que integrem a Superliga, assegurando contar com o apoio das federações de Inglaterra, Espanha e Itália, bem como das ligas de futebol destes três países.