Grande Futebol
Arsenal dá a volta ao Liverpool e impede campeão de bater recorde de pontos
2020-07-15 23:05:00
O recorde continuará com o Manchester City, com 100 pontos

O Arsenal deu hoje a volta ao Liverpool e venceu os ‘reds' por 2-1, em jogo da 36.ª jornada, impedindo o líder e já campeão de bater o recorde de pontos na Liga inglesa de futebol.

Em Londres, o senegalês Sadio Mané colocou o Liverpool em vantagem, aos 20 minutos, concluindo uma boa jogada de envolvimento, mas os ‘gunners', que contaram com o internacional português Cédric Soares de início, operaram a reviravolta ainda na primeira parte, aproveitando duas desatenções dos visitantes.

Primeiro, foi o avançado francês Alexandre Lacazette a tirar partido de um mau passe do ‘implacável' Virgil van Dijk, aos 32 minutos, e depois coube a Reiss Nelson capitalizar uma falha do guarda-redes Alisson, aos 44.

A duas jornadas do final e com seis pontos em disputa, o Liverpool, que tem 93, já não tem hipóteses de bater o recorde dos 100 pontos na Premier League, marca com a qual o Manchester City se sagrou campeão inglês em 2017/18.

O Tottenham, treinado pelo português José Mourinho, venceu por 3-1 o Newcastle e aproximou-se do sexto lugar. Os ‘spurs' adiantaram-se no marcador por intermédio do sul-coreano Son Heung-Min, aos 27 minutos, só que o escocês Matt Ritchie repôs a igualdade para os 'magpies', aos 56.

O empate durou pouco tempo, já que o 'inevitável' Harry Kane colocou o Tottenham novamente em vantagem, aos 60 minutos, antes de 'bisar' e 'selar' o triunfo da equipa londrina, aos 90.

A formação comandada por José Mourinho subiu provisoriamente ao sétimo lugar, com 55 pontos, mais um do que o Sheffield United, que visita o Leicester na quinta-feira, e aproximou-se do Wolverhampton, sexto colocado, com 56, que cedeu um empate 1-1 na visita ao Burnley.

O conjunto comandado por Nuno Espírito Santo parecia bem lançado para somar a segunda vitória seguida na Premier League, graças ao golo apontado pelo mexicano Raúl Jiménez, aos 76 minutos, mas o 17.º tento do ex-avançado do Benfica na competição acabou por revelar-se insuficiente, já que o neo-zelandês Chris Wood fez o empate, aos 90+6, de grande penalidade.

O Wolverhampton alinhou de início com os portugueses Rui Patrício, Rúben Vinagre, Rúben Neves, João Moutinho, Daniel Podence e Diogo Jota, enquanto Pedro Neto foi lançado no segundo tempo.

Já o Manchester City, que tem o segundo posto assegurado, somou a terceira vitória consecutiva, batendo o 'aflito' Bournemouth por 2-1, numa partida na qual o internacional português Bernardo Silva foi titular nos 'citizens'.

O espanhol David Silva inaugurou o marcador, logo aos seis minutos, num livre direto cobrado de forma exímia, e assistiu o brasileiro Gabriel Jesus para o segundo do City, aos 39, antes de David Brooks reduzir para os 'cherries', aos 88.

A equipa de Pep Guardiola tem 75 pontos, menos 18 do que o Liverpool, ao passo que o Bournemouth continua na zona de despromoção, com 31.