Grande Futebol
Girona já tem fórmula para combater uma receção ao Barcelona em solo americano
Mauro
2018-09-05 17:45:00
A Liga Espanhola quer jogos nos Estados Unidos. Os jogadores não o aceitam. Mas, o Girona FC já colocou as mãos à obra.

O futebol espanhol poderá nunca mais vir a ser o mesmo depois desta época. A La Liga quer, pelo menos, um jogo do campeonato a ter lugar em solo americano e tudo indica que o escolhido é um duelo entre dois clubes catalães, mais precisamente o Girona FC-FC Barcelona, da segunda volta. Embora ainda não tenha sido confirmada pela entidade, a possibilidade de a partida se realizar em Miami é bem real, para o descrédito e desagrado de muitos. O facto de poder não vir a receber um dos principais candidatos ao título no próprio estádio poderá servir de entrave à saúde financeira do Girona, mas é por isso mesmo que o clube já colocou as mãos à obra de forma a compensar os adeptos.

De acordo com a imprensa espanhola, o Girona está a preparar três tipos de ofertas para todos os associados. Primeiramente, para aqueles que não querem ficar sem ver de perto o encontro, mesmo que seja nos Estados Unidos, o clube irá oferecer 1.500 viagens gratuitas para Miami, com bilhetes de avião e para o estádio a custo zero. Segundo o L’Esportiu, tudo aquilo que o clube da Catalunha irá pedir são 500 euros como caução, com o intuito de ninguém optar por não ir à última hora e assim evitar que outro adepto possa desfrutar da iniciativa. No entanto, nem tudo são comodidades, pois a longa viagem fará com que os aficionados que decidam ir fiquem praticamente sem tempo para nada, pois a ideia é voltarem logo a seguir ao apito final num voo ‘charter’. Assim, caso paguem 600 euros não reembolsáveis, os adeptos poderão ficar mais um dia em Miami, com hotel e viagem do estádio incluída.

Pois bem, mas as ofertas do Girona não se ficam por aqui. O clube vai ainda presentear mesmo aqueles que não pretendem viajar para os Estados Unidos, mas que queiram ver o Barcelona em direto. Assim, o clube irá oferecer 5.000 bilhetes aos adeptos para o encontro da primeira volta, que terá lugar no Camp Nou. A terceira oferta é para aqueles que não desejam ir a Miami nem ao recinto do Barça: será devolvido 40 por cento do preço do bilhete de época.

A verdade é que ainda não há qualquer reação oficial de Girona e Barcelona, sendo que ambos os clubes têm vindo a recusar abordar o assunto. Quem não tem hesitado em criticar a decisão é a Federação Espanhola e também a associação de jogadores do país vizinho. “O problema é a falta de senso comum, um plano em que apenas a exportação do futebol sai beneficiada - ninguém conta os adeptos. Os capitães estão indignados, estão contra isso, são unânimes. Não faz sentido. Estamos a falar de um acordo que tem a validade de 15 anos, sem consultar os jogadores”, referiu recentemente David Aganzo, presidente da associação de jogadores em reação ao acordo da Liga Espanhola com a Relevent para a realização de um jogo do campeonato em solo americano nos próximos 15 anos. A possibilidade de greve dos jogadores já foi colocada em cima da mesa.

Os jogos disputados noutros países têm vindo a ganhar fama em tempos recentes. Tudo por culpa do dinheiro que é oferecido e também pela globalização do futebol do país. A Supertaça de Itália é um dos principais exemplos, sendo que já foi disputada na China, Catar, Estados Unidos, Líbia e em 2019 terá lugar na Arábia Saudita. Até em Espanha existem exemplos desses, com o Barcelona envolvido. A Supertaça espanhola desta temporada, entre os catalães e o Athletic Bilbau, foi disputada em Tânger, Marrocos. A globalização do desporto rei parece ser uma inevitabilidade e a Liga Espanhola quer que ela chegue ao país o mais rápido possível, embora clubes e jogadores pensem de outra forma.