Fora da Bancada
Rui Rio critica “inação” da GNR, fala em “bandalho” e pede averiguações
Redação
2021-04-27 22:35:00
Presidente do PSD quer que a atuação dos militares da GNR em Moreira de Cónegos seja investigada

O presidente do PSD comentou o incidente que está na ordem do dia: a agressão do empresário Pedro Pinho a um repórter de imagem da TVI, depois do Moreirense-FC Porto.  

“Se o relato da TVI é rigoroso, então, a inação dos elementos da GNR é intolerável”, realça Rui Rio, que classifica o empresário de “bandalho” e exige uma investigação à intervenção daquela força de segurança. 

Recorde-se que o agressor foi identificado pelos militares da GNR presentes no local, mas não houve detenção por flagrante delito, num caso de crime público - segundo o jurista Rui Pereira há quatro crimes praticados por Pedro Pinho. 

“Ver um bandalho a agredir um cidadão e não interferir de imediato para o evitar – agravado com o facto de se tratar de um crime público – exige um processo de averiguações. Tem de haver ordem!”, exclama Rui Rio. 

A GNR identificou o autor da agressão, logo depois da mesma, "acalmou os ânimos", segundo revela a TVI, mas o militar garante que não testemunhou o incidente. Rui Rio estranha esta atuação das forças de segurança e quer ver o caso levado até às últimas consequências.

Recorde-se que o Ministério Público vai abrir um inquérito à agressão, confirmou hoje à Lusa fonte oficial da PGR. Na segunda-feira, após o encontro da 29.ª jornada do campeonato, que terminou empatado 1-1, um jornalista foi agredido nas imediações do estádio do Moreirense, em Moreira de Cónegos, de acordo com imagens transmitidas pelo próprio canal de televisão.

No dia de hoje, além da TVI, várias entidades, como a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o Sindicato dos Jornalistas (SJ), a Associação dos Jornalistas de Desporto (CNID), a Associação Nacional de Agentes de Futebol (ANAF) e a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), juntamente com os clubes Sporting e Benfica, repudiaram a agressão.