Fora da Bancada
Plano de desconfinamento será apresentado a 11 de março
Redação
2021-02-26 19:15:00
António Costa revela que “é natural” que comece pelas escolas

O plano de desconfinamento vai ser apresentado pelo Governo a 11 de março, anunciou esta tarde o primeiro-ministro, António Costa.

A reabertura do país será feita de forma faseada, realçou ainda o governante, durante uma conferência de imprensa realizada no Palácio Nacional da Ajuda, após o Conselho de Ministros.

António Costa adiantou que, como “é natural”, o desconfinamento deve começar pelas escolas, com o primeiro-ministro a recordar que o Governo “resistiu o mais que pôde” ao seu encerramento.

“Quanto às escolas, é sabido que o Governo resistiu o mais que pôde à necessidade de encerramento das escolas porque temos bem consciência do custo elevadíssimo que tem para o desenvolvimento da personalidade das crianças, para o seu processo de aprendizagem e é um dos maiores fatores de desigualdade no conjunto destas medidas”, realçou.

Como foi a “última medida” restritiva a ser tomada pelo executivo para o confinamento em vigor, “é natural que seja também a primeira medida que venhamos a tomar seja iniciar o desconfinamento pelas escolas”, complementou.

Será um desconfinamento gradual e progressivo, explicou: "Tal como fizemos há um ano, esse plano será gradual. Progressivamente irá abrangendo sucessivas atividades e será guiado por critérios objetivos, para ir medindo a evolução da pandemia".

Por enquanto, Portugal vai permanecer em confinamento, porque “este, infelizmente, não é ainda o tempo do desconfinamento”.

“Nos próximos 15 dias, é preciso manter tudo, tudo, tudo como tem sido até agora. O Conselho de Ministros, como era expectável, aprovou sem qualquer alteração a renovação do decreto lei que há 15 dias atrás tinha aprovado”, referiu ainda o primeiro-ministro.

Costa falou ainda sobre a vacinação, garantindo que cerca de 80 por cento dos idosos com mais de 80 anos e todas as pessoas entre os 50 e os 65 anos com comorbilidades associadas estarão vacinadas até ao final de março.

"Podemos confirmar o objetivo de até ao final de março termos mais de 80 por cento das pessoas com 80 anos totalmente vacinadas. Podemos assegurar o cumprimento da meta de termos a vacinação integral de todos os maiores de 50 anos mas com menos de 65 anos e que tenham comorbilidades associadas", prometeu.