Euro2020
Itália bate Suíça e é a primeira apurada para os oitavos de final
2021-06-16 21:50:00
‘Squadra azzurra’ lidera o Grupo A do Euro2020 com seis pontos

A seleção italiana de futebol, tal como fez na estreia frente à Turquia, voltou a vencer por 3-0, desta vez à custa da Suíça, no Grupo A do Euro2020, garantido o apuramento e assumindo-se como candidata ao título.

A ‘squadra azzurra’ partia com algum favoritismo sobre a Suíça, que é uma seleção forte, bem cotada no ‘ranking’ europeu, com bons resultados a nível internacional nos últimos anos, mas não se esperava que marcasse uma superioridade tão evidente no jogo de hoje.

A Itália controlou o jogo e o resultado de princípio a fim e a Suíça nunca mostrou capacidade para criar problemas sérios à defesa adversária e nunca atinou com a forma de travar os ataques rápidos dos italianos, que já podiam ter chegado ao intervalo a vencer por um resultado mais dilatado do que aquele que se registava (1-0).

No entanto, antes disso, já Giorgios Chiellini tinha introduzido a bola na baliza helvética, na sequência de um pontapé de canto, mas o v’deoárbitro descobriu uma mão na bola do experiente central da Juventus e invalidou a jogada.

O golo foi marcado pelo médio Manuel Locatelli, do Sassuolo, que se tornou na figura do jogo, pelo que jogou, fez jogar e por ter sido também o autor do segundo golo, aos 52 minutos, que correspondeu ao ‘xeque-mate’ na equipa Suíça, que não teve argumentos futebolísticos para se bater com a Itália.

O terceiro golo, de autoria de Ciro Immobile, surgiu a um minuto do fim do tempo regulamentar, mas o avançado da Lazio, antes de fechar a contagem, desperdiçou dois golos feitos, aos 73 e 75 minutos, numa altura em que a Suíça tentava chegar ao golo que a repusesse na discussão do resultado, acabando por se expor e por conceder espaços para o contra-ataque.

Basta dizer, para retratar a inoperância do ataque suíço perante uma defesa italiana intratável, que só criou uma oportunidade de golo, aos 64 minutos, quando o guarda-redes Donarrumma evitou o 2-1, ao deter dois remates de Zuber, na área, o primeiro com o pé e o segundo com o braço.

Não obstante tratar-se de um grupo acessível, a Itália de Roberto Mancini demonstrou nos seus dois primeiros jogos uma coesão e uma capacidade coletiva notáveis, a par da qualidade individual de jogadores como Jorginho, Barella, Locatelli e Berardi, entre outros, que fazem com que um jogador com a classe de Chiesa tenha sido suplente utilizado, e que se afirme como um candidato ao título.

Com o triunfo de hoje, a Itália garantiu, desde já, o apuramento para os oitavos de final e lidera o grupo A com seis pontos, seguido do País de Gales, com quatro, da Suíça, com um, e da Turquia, com zero.

Itália-Suíça, 3-0.

Estádio Olímpico de Roma.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Locatelli, 26 minutos.

2-0, Locatelli, 52.

3-0, Immobile, 89.

Equipas:

- Itália: Donnarumma, Di Lorenzo, Bonucci, Chielinni (Acerbi, 24) Spinazzola, Barella (Cristante, 87), Jorginho, Locatelli (Pessina, 86), Berardi (Toloi, 70), Insigne (Chiesa, 69) e Immobile.

Selecionador: Roberto Mancini.

Suíça: Sommer, Elvedi, Schar (Zuber, 58), Akanji, Ricardo Rodriguez, Mbabu (Widmer, 58), Xhaka, Freuler (Sow, 79), Shaqiri (Vargas, 76), Embolo e Seferovic (Gravanovic, 46)

Selecionador: Vladimir Petkovic

Árbitro: Sergey Karasev (Rússia).

Ação disciplinar: cartões amarelos para Gravanovic (49) e Embolo (79).

Espetadores: 12.445.