Portugal
Sporting e SC Braga em final inédita na luta pelo primeiro título de 2021
Redação
2021-01-21 08:45:00
Benfica e FC Porto afastados do jogo decisivo da Taça da Liga

O Sporting, ‘carrasco’ do FC Porto, e o detentor SC Braga, responsável pelo adeus do Benfica, disputam no sábado em Leiria uma inédita final da edição 2020/21 da Taça da Liga em futebol, muito marcada pela covid-19.

A pandemia retirou o público e a festa da ‘final four’ e afetou muito as duas meias-finais, das polémicas com os testes ao novo coronavírus nos ‘leões’, que levaram os ‘dragões’ a ameaçar boicotar a prova, ao surto que dizimou a equipa ‘encarnada’, com 17 infetados, entre eles sete jogadores, incluindo seis defesas.

Ainda assim, como o espetáculo tinha de continuar, a prova prosseguiu, com o Sporting, sem os ‘falsos positivos’ Nuno Mendes e Sporar, a bater o FC Porto por 2-1, na terça-feira, graças ao 'jóquer' Jovane Cabral, e o Sporting de Braga a impor-se ao ‘remendado’ Benfica pelo mesmo resultado, no dia seguinte.

Os dragões adiantaram-se na primeira meia-final, com um golo de Marega, aos 79, mas, entrado aos 78, Jovane deu o triunfo aos leões, com tentos aos 86 e 90+4, e, na segunda, as cabeças de Abel Ruiz, aos 28, e Tormena, aos 59, qualificaram os bracarenses, apenas batidos de penálti, por Pizzi, aos 45.

Desta forma, a final da 14.ª edição da Taça da Liga terá uma final inédita, mas já com a garantia de um vencedor que somará o terceiro título, para se isolar no segundo lugar do ranking, a quatro das águias, e um técnico que chegará ao segundo.

Os leões venceram as finais de 2017/18 e 2018/19, ambas no desempate por grandes penalidades, depois de terem perdido as de 2007/08 e 2008/09, enquanto os arsenalistas triunfaram em 2012/13 e na época passada, sendo que, pelo meio, em 2016/17, foram surpreendentemente derrotados pelo Moreirense.

Por seu lado, o técnico leonino, Rúben Amorim, é o detentor da prova, que ganhou nos primeiros passos da carreira, mas pelo SC Braga, enquanto Carlos Carvalhal arrebatou a edição inaugural, em 2007/08, ao comando do Vitória de Setúbal, numa final face ao Sporting, decidida nos penáltis.

Na qualidade de líder da I Liga, e também por ter vencido os bracarenses - então com três centrais infetados –, por 2-0, já em 2021, para a ronda 12 do campeonato, os leões podem considerar-se ligeiramente favoritos.

Nesse encontro, disputado em Alvalade, os arsenalistas construíram várias ocasiões para se adiantarem no marcador, mas foram ineficazes, e pouco felizes, e, na segunda parte, Pedro Gonçalves e Matheus Nunes selaram o triunfo dos anfitriões.

Os leões venceram o derradeiro encontro com a equipa bracarense, mas, na Taça da Liga, o último a rir foi o SC Braga, que se impôs por 2-1 na meia-final da época passada, na sua ‘pedreira’ – resolveu Paulinho, aos 90 minutos.

Quanto à final de sábado, nenhuma das formações perdeu jogadores por castigo, mas, ao nível trágico a que está a pandemia da covid-19, é uma incógnita se qualquer das formações estará na máxima força, ou perto disso.

Rúben Amorim poderá, eventualmente, já poder contar com Nuno Mendes e Sporar, ao contrário de Luís Neto e Tabata, enquanto, que seja do conhecimento público, os arsenalistas não têm qualquer infetado.

O encontro entre o Sporting e o SC Braga, correspondente à final da 14.ª edição da Taça da Liga, realiza-se no sábado, no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, com início às 19h45.