Portugal
"Slogans e t-shirts não vão mudar as coisas", lamenta Marega
2020-08-11 15:35:00
Maliano recorda insultos racistas em Guimarães

Moussa Marega viveu sensações diversas nesta temporada em que ajudou o FC Porto a conquistar a dobradinha e protagonizou um episódio que correu o mundo, quando em Guimarães decidiu abandonar o relvado após ser insultado.

O maliano lamenta que vários meses depois ainda não exista uma decisão sobre eventuais castigos.

"A certas pessoas, o que se passou em Guimarães mudou-lhes a mentalidade, mas, à generalidade, não se sabe se mudou ou não, porque ainda não se conhece qualquer sanção", lamentou, em entrevista ao Jornal de Notícias.

Marega lembra que o assunto correu mundo, colocou as pessoas a falar sobre o racismo mas ao dia de hoje teme que seja preciso fazer mais do que aquilo que se tem feito.

"Não são as bandeirolas ou as t-shirts com slogans contra o racismo que vão mudar as coisas. Até agora, nada mudou".

Na altura, recorde-se, o Ministério Público instaurou um inquérito na sequência deste incidente, que mereceu também a condenação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa, entre outros.

O avançado do FC Porto, recorde-se, recusou-se a permanecer em campo, ao minuto 71 do jogo, após ter sido alvo de cânticos racistas por parte dos adeptos da formação vimaranense, numa altura em que os dragões venciam por 2-1, resultado com que terminou o encontro.

Depois de pedir a substituição, Marega, que já alinhou no emblema minhoto e tinha marcado o segundo golo dos azuis e brancos, dirigiu-se para as bancadas do recinto vimaranense, com os polegares a apontarem para baixo, situação que originou uma interrupção do jogo durante cerca de cinco minutos.