Portugal
"Quis o acaso que ocorresse quando nessa jornada se disputava FC Porto-Benfica"
Redação
2021-01-21 11:15:00
Sporting lança suspeita sobre "erros" na testagem em ronda de clássico

O Sporting insiste nas críticas ao laboratório responsável pela testagem do plantel, que tem estado no foco do descontentamento leonino, e, nesta quinta-feira, é André Bernardo, administrador da SAD do Sporting, a velar críticas à Unilabs.

Através do editorial do jornal do Sporting, André Bernardo entra na polémica sobre os falsos positivos de Nuno Mendes e Sporar, jogadores do Sporting que não jogaram a meia-final da Taça da Liga (frente ao FC Porto) nem o último jogo do campeonato (contra o Rio Ave) por conta de testes à covid-19 que têm levantado dúvidas.

O administrador do Sporting estranha que os dois falsos positivos no plantel às ordens de Rúben Amorim tenham acontecido precisamente no clube leonino numa jornada do campeonato que teria um clássico FC Porto-Benfica.

"Os erros acontecem, e quis o acaso que ao Sporting acontecessem em dois jogadores numa amostra de 30, desafiando o estatisticamente provável. E quis o acaso que ocorresse no jogo com o Rio Ave quando nessa jornada se disputava o clássico FC Porto-Benfica", refere o dirigente do clube de Alvalade.

André Bernardo destaca que "é conhecida a probabilidade de um teste PCR à covid-19 ser falso positivo e ela é menor do que um por cento, ou seja, a probabilidade de erro num teste é de menos de um teste errado em cada 100".

E isso acontece "porque a pessoa testada não tem vírus, mas o teste indica que sim", sustenta, salientando que o laboratório reconheceu o erro, mas não percebe porque razão agora diz que não o reconheceu.

"É verdadeiro que o diretor clínico da Unilabs enviou ao Sporting um email em que reconhecia esse facto. Assim como são verdadeiras as suas declarações em que 'tudo o que se passou depois daí (o ter validado os testes iniciais) não faço ideia. Não fomos contactados'. Ora, como o email suprareferido atesta, o conteúdo desta declaração é falso, mas neste caso não tem nada de positivo. Ele não só foi contactado como aliás respondeu... até que deixou de responder".

O administrador da SAD do Sporting suporta a sua crença também em outras situações, que menciona: "Também verdadeiro é o email enviado pela Direcção-Geral da Saúde a este diretor [da Unilabs], às 13h30 de terça-feira - dia do jogo do Sporting-FC Porto -, a solicitar a confirmação do conteúdo do anterior email que mencionei, assim como é verdadeira a ausência de resposta por parte do mesmo. A resposta nunca chegou e o Sporting viu-se uma vez mais privado de poder utilizar ambos os jogadores", lamentou André Bernardo.

De resto, na quarta-feira, neste sentido, Miguel Braga, diretor de comunicação do Sporting, lançou mais uma ‘acha para a fogueira’, no diferendo entre o clube de Alvalade e o laboratório que realizou os testes a Nuno Mendes e Sporar. 

O responsável recorreu à ironia e nas redes sociais convidou a Unilabs a encaminhar à Direção-Geral da Saúde (DGS) um email que foi alegadamente enviado para o diretor-clínico do Sporting, onde o laboratório “assumia que os testes de Sporar e de Nuno Mendes eram falsos positivos”. 

André Bernardo finaliza o editorial a referir que, apesar desta situação, na terça-feira, em Leiria, frente ao FC Porto, na meia-final da Taça da Liga, "ganhou acima de tudo a justiça e a transparência que é aquilo que transforma uma vitória em glória, à la Sporting".

Já após o apito final desse clássico entre leões e dragões, Frederico Varandas, médico de profissão, manifestou-se indignado com o caso que envolveu Nuno Mendes e Sporar, atletas que acusaram falsos positivos nos testes de covid-19, nas vésperas do encontro com o FC Porto, e que ficaram fora do jogo da Taça da Liga, por imposição da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Em declarações aos jornalistas, depois do jogo da Taça da Liga, que os leões venceram por 2-1, o presidente do Sporting prestou esclarecimentos sobre todos os procedimentos das autoridades. E anunciou uma queixa na Ordem dos Médicos, por considerar que houve falhas no processo. 

"Sou médico e posso afirmar inequivocamente que os jogadores não têm covid-19. Falámos com o diretor-clínico da Unilabs e o próprio diretor-clínico nos disse que se tratava de falsos positivos".

"Podem dizer que o Sporting joga mal, mas não admito que ponham em causa a honestidade do corpo clínico, dos médicos do clube. Vamos fazer uma queixa na Ordem dos Médicos contra o diretor clínico da Unilabs, que disse que nem sabia o que se passava e que nem tinha sido contactado. Pena que tenhamos um email desse senhor... Agora, vou abandonar este patético mundo covid-19, porque daqui a uma hora vou cuidar de doentes reais", concluiu Varandas.