Portugal
"O Benfica terá de tentar convencer o Governo da bondade da sua proposta"
2022-09-30 09:50:00
"Benfica tem mérito de espoletar discussão necessária sobre modelo de justiça desportiva", diz ex-governante

Na reação ao castigo aplicado a Henrique Araújo, o Benfica criticou o Conselho de Disciplina e pediu à Federação Portuguesa de Futebol a extinção deste organismo. A tensão entre águias e o Conselho de Disciplina prossegue na sequência de uma troca de comunicados entre a Luz e a Cidade do Futebol.

Perante o castigo e a multa divulgados pela entidade federativa, o clube liderado por Rui Costa falou em "provocação" por parte de um Conselho de Disciplina que, no entendimento do clube lisboeta, "já perdeu toda a credibilidade" para exercer as funções que tem exercido na estrutura federativa.

O Conselho de Disciplina não se ficou e lamentou aquilo que chamou de "desinformação" no caso do castigo e multa aplicada ao ponta de lança Henrique Araújo. "A multa de 64.770 euros não foi aplicada como consequência das declarações do jogador, foi aplicada ao clube pelo concurso de 6 (seis) infrações disciplinares e resultou da apensação de 5 (cinco) processos disciplinares", explicou o órgão federativo, realçando ainda o que levou ao castigo de Henrique Araújo.

"Foi sancionado com um jogo de suspensão e 535 euros de multa por declarações prestadas", referiu o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, órgão que não poderá ser extinto como desejam as águias, a menos que o Governo tenha interverência nos regulamentos federativos.

Alexandre Mestre, jurista, especialista em direito desportivo, e antigo secretário de Estado do Desporto, salienta que "só por iniciativa do Governo" é que tal situação poderá ocorrer.

"O Regime jurídico das Federações desportivas exige que todas as federações dotadas de estatuto de utilidade pública tenham, estatutariamente, dois órgãos jurisdicionais: um Conselho de Disciplina e um Conselho de Justiça", explicou Alexandre Mestre.

Ouvido pelo Record, o antigo governante diz que por se tratar de algo que deriva de um Decreto-Lei "teria de ser revisto pelo Governo".

Deste modo, Alexandre Mestre diz que para a ideia do Benfica ter caminho para percorrer será necessário que o clube da Luz consiga convencer o Governo da "bondade da sua proposta".

Ainda assim, o antigo governante sublinha que a posição tomada pelo clube liderado por Rui Costa "tem, pelo menos, o mérito de espoletar uma discussão necessária e mais ampla sobre o modelo de justiça desportiva em Portugal".

Em todo o caso, o antigo secretário de Estado do Desporto lembra que uma mudança no capítulo do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol por iniciativa do Governo acabaria por ter impacto e reflexo em todos os outros organismos semelhantes nas restantes federações desportivas sob tutela do Governo.