Portugal
Nacional empata em Moreira de Cónegos e complica contas da manutenção
Redação
2021-05-06 17:20:00
Insulares estiveram a vencer por duas vezes, mas deixaram escapar pontos preciosos na luta pela manutenção

Moreirense e Nacional empataram hoje 2-2, em jogo da 31.ª jornada da I Liga, no qual os minhotos anularam duas desvantagens e mantiveram os insulares no último lugar.

Um autogolo de Filipe Soares, aos 43 minutos, e um golo do hondurenho Bryan Róchez, aos 74, colocaram os madeirenses por duas vezes em vantagem, mas o venezuelano Nahuel Ferraresi, aos 62, e o brasileiro André Luís, aos 81, restabeleceram a igualdade.

O Moreirense continua sem vencer em casa sob comando de Vasco Seabra - oito empates e duas derrotas - e é sétimo, com 37 pontos, podendo acabar esta ronda mais distante do sexto lugar, o último de acesso às competições europeias de 2021/22.

Já o Nacional, prossegue na 18.º e última posição, com 25, seis abaixo da zona de salvação direta e a quatro do 16.º e antepenúltimo, que valerá um ‘play-off’ de permanência com o terceiro colocado da II Liga, quando restam nove pontos em disputa.

Apesar do ascendente madrugador dos minhotos, frisado apenas ao oitavo minuto, numa investida pela direita de David Simão finalizada com um remate em arco ao poste da baliza de António Filipe, a primeira parte desenrolou-se na direção da área minhota.

Os insulares, com seis mexidas face à derrota frente ao Sporting (2-0), surgiam mais pressionados na fuga à despromoção e foram adquirindo confiança gradual, tendo Éber Bessa executado um livre direto para defesa atenta de Kewin Silva, aos 17 minutos.

Inserido no lote das seis trocas em relação ao desaire em Guimarães (2-0), o guarda-redes brasileiro beneficiou da lesão do habitual titular Mateus Pasinato, que era um dos cinco totalistas da I Liga, para se estrear pelo Moreirense e voltou a ser importunado.

João Vigário atirou ao lado aos 20 minutos, após um remate inicial de Pedro Mendes bloqueado por Abdoulaye, para, aos 27, assinar novo livre descaído para a esquerda, desta vez na direção de Pedrão, que fugiu à marcação e tocou para a baliza ‘cónega’.

O Nacional festejou, mas o videoárbitro viu um fora-de-jogo de 10 centímetros e anulou a vantagem do conjunto de Manuel Machado, que seria consumada em moldes idênticos aos 43 minutos, num desvio infeliz de Filipe Soares ao livre na direita de João Vigário.

Os pupilos de Vasco Seabra manifestavam fraquezas na contenção de lances de bola parada, parca criatividade, limitada a um disparo de longe inofensivo de Rafael Martins, e viram Danilovic e Éber Bessa ameaçarem nova contrariedade a caminho do intervalo.

Os minhotos tentaram reverter o rumo dos acontecimentos na etapa complementar, embora a lentidão na circulação da bola tenha facilitado a tarefa defensiva madeirense, até que, aos 62 minutos, os livres laterais voltaram a fazer a diferença no marcador.

António Filipe ainda defendeu a primeira investida de Abdoulaye a partir do flanco canhoto, o esférico embateu no poste e sobrou para a emenda fácil de Ferraresi, que estava em posição regular por 17 centímetros, de acordo com a indicação do VAR.

Manuel Machado abdicou do trio de centrais para reforçar o setor intermédio e colheu frutos aos 74 minutos, quando Rúben Micael trabalhou na esquerda com Brayan Riascos, que ganhou espaço na área e assistiu o remate frontal do recém-entrado Brian Róchez.

A resposta do conjunto de Vasco Seabra demorou sete minutos, com Ibrahima Camará a fazer um passe longo em diagonal para o canhoto Abdu Conté, que cruzou atrasado para a finalização de primeira de André Luís, orientando o jogo para uma ponta final emotiva.

Durante os nove minutos de compensação, Galego acertou no poste e Yan testou de seguida António Filipe, ao passo que Pedrão cabeceou por cima na derradeira jogada.

Com este resultado, o Moreirense está em sétimo, com 37 pontos, a quatro do Vitória de Guimarães, que ocupa a sexta posição (a última de acesso às competições europeias na próxima época) e tem menos um jogo, enquanto o Nacional mantém-se em 18.º e último, com 25, a seis da zona de manutenção direta.