Portugal
"Jesus paga pela boca e foge por todos os lados. Que honre o Benfica"
Redação
2021-02-26 10:05:00
'Luvas pretas' pede a Jesus para não fazer parte "do anedotário nacional"

João Alves, um dos mais prestigiados nomes da história do Benfica, está cansado de ouvir Jorge Jesus 'fugir' às responsabilidades e pediu ao técnico que "honre" o emblema do Benfica na linguagem que usa, evitando, desse modo, ser motivo de chacota.

O 'luvas pretas' diz que gosta "pouco de bater no ceguinho" mas confessou que, desta vez, teria de o fazer, na sequência das últimas intervenções do treinador encarnado.

"O Jesus tem sido o grande responsável quanto mais não seja - e não estou a falar da parte técnica, tática ou física - pela arrogância e fanfarronice que desde início da época transmitiu isso ao discurso que foi tendo", comentou João Alves, notando que Jorge Jesus "agora está a pagar pela boca".

"O peixe morre sempre pela boca, como diz o ditado", salientou o 'luvas pretas', como era conhecido o ex-jogador do Benfica que também já treinou o clube da Luz.

João Alves lembra ainda que os treinadores têm a obrigação "moral" de assumir as responsabilidades e defender o grupo. "O Jesus tem de assumir responsabilidades como qualquer treinador. Uma das obrigações morais é dar o corpo às balas. Sabemos que somos pagos para isso. O Jesus está a fugir por todos os lados e não se percebe o porquê quando, na verdade, tem de usar uma linguagem correta, de verdade e que todas as pessoas percebam".

O 'luvas pretas' pediu ainda 'tento' na língua a Jorge Jesus para evitar ser motivo de chacota. "Que não faça parte do anedotário nacional", pediu, apelando a que tenha uma linguagem que "dê honra ao nome do clube que representa".

"Ele tem de ter mais cuidado com isso", disse João Alves, sustentando que "momentos maus todos os treinadores e clubes têm", até porque "são coisas que podem acontecer".

Agora, o que João Alves não concorda é com as constantes narrativas que Jorge Jesus tem apresentado para explicar a temporada das águias, insistindo com a questão da pandemia para justificar uma época muito áquem das expectativas.

"O Benfica tem sido uma desilusão e ele tem de aceitar isso. Não há ninguém que aceite esse argumento da covid-19 porque é facilmente demonstrável o contrário", afirmou João Alves, em declarações na RTP 3, aconselhando Jorge Jesus a ser "mais humilde".

"O que me parece é que o Jesus tem que ser mais humilde e responsável e ter outro tipo de linguagem", recomenda João Alves, dizendo que este tipo de discurso "não lhe fica bem nem ao clube que representa".

Em recente conferência de imprensa, Jorge Jesus exaltou-se e assumiu uma postura de indignação pelas críticas, apontando mesmo o dedo aos adeptos que organizaram um buzinão para criticar a gestão de Luís Filipe Vieira e a crise de maus resultados.

Já antes, em Faro, depois de novo empate das águias, Jorge Jesus lamentou não ter vencido mas destacou que não tinha perdido, sendo este um argumento que desagradou profundamente aos benfiquistas, que já vieram a público mostrar o seu descontentamento como foi o caso de Carlos Manuel, também ele uma das grandes referências do passado encarnado.

Se ao quinto jogo fora sem ganhar e eu fosse a uma conferência de imprensa, eu não iria escamotear que as coisas não estão bem. Dizer ‘jogámos muito bem e falhámos golos’? Isto é o Benfica...”.