Portugal
“Ficaríamos ofendidos se o Sporting não preparasse a festa”, diz Amorim
Redação
2021-05-10 18:45:00
Técnico do Sporting quer ser campeão já hoje, com um eventual desaire do FC Porto diante do Farense 

Na antevisão do jogo com o Boavista, que pode determinar o título de campeão nacional do Sporting, Rúben Amorim manifestou o desejo de entrar já com essa conquista asseguradao que sucede em caso de um desaire do FC Porto, que hoje defronta o Farense 

“A responsabilidade de treinar o Sporting é igual. Não interessa se somos candidatos. Estamos a três pontos de ganhar um campeonato que não se ganha há muito tempo. Ainda não somos campões. Quanto à questão de podermos ser campeões no sofá, não ligo à beleza de ser campeão em campo. Quanto mais cedo melhor”, começou por dizer o técnico, em conferência de imprensa realizada em Alvalade.  

E a possibilidade de festa em véspera do jogo com o Boavista deixa Rúben Amorim mais do que tranquilo. “Não sei qual é o plano de festas. Não sou eu que vou mandar os jogadores para a cama. O facto de haver um autocarro a passear não significa que vai acontecer. E ficaríamos ofendidos se o Sporting não preparasse a festa quando só dependemos de nós”, afirmou o técnico, assumindo que essa conquista é iminente.  

O facto de o Sporting não se ter assumido como candidato ao título, durante o campeonato, mesmo depois de ter construído uma vantagem relevante relativamente a FC Porto e Benfica, suscita no técnico um raciocínio curioso. “Muita gente discordou do meu discurso, mas o que importa é ter razão no fim", referiu. E a propósimo assumiu, finalmente, essa candidatura, o que não passa de uma mera formalidade.

"Obviamente, somos candidatos ao título. Mas vamos defrontar um adversário com valor, que precisa de pontos mas a pressão está do nosso lado", alertou Rúben Amorim.

Confrontado com a importância pessoal desta eventual conquista, Rúben Amorim falou do grupo, daquilo que pôde observar durante a semana, desvalorizando a questão individual, ou as vitórias da sua carreira. “Não importa se é o jogo mais importante da carreira. O que eu senti nesta semana foi um entusiasmo muito grande. A equipa sabe que depende dela, tem um jogo em casa, muita gente a contar com a nossa vitória e é isso que vamos tentar fazer”, realçou o treinador leonino.

O líder invicto Sporting, com 79 pontos, recebe na terça-feira o Boavista, no 16.º posto, com 31, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, às 20h30, na 32.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que terá arbitragem de Luís Godinho, da associação de Évora