Grande Futebol
“Em janeiro, Lucas Veríssimo pode sair de graça”, alerta presidente do Santos
2020-12-04 09:55:00
Orlando Rollo não compreende ‘chumbo’ do Conselho Fiscal, que travou e venda do jogador para o Benfica 

O presidente do Santos, Orlando Rollo, avisou o Conselho Fiscal do clube, que deu parecer negativo à transferência de Lucas Veríssimo para o Benfica, que o defesa-central poderá sair de borla, em janeiro. 

“O presidente do Benfica veio ao Brasil, melhorou a proposta e antecipou uma parcela. E Lucas Veríssimo já acertou salário com o Benfica. Com a rejeição do Conselho Fiscal, eu gostaria de deixar claro os desdobramentos no caso da não negociação”, referiu Rollo, citado pela imprensa brasileira. 

O dirigente revela que o Benfica apresentou uma proposta de 6,5 milhões de euros. E que essa poderá ser a salvação do clube, uma vez que “não há previsão de pagamento de salários aos atletas em dezembro” e que, “provavelmente”, alguns sairão “de graça em janeiro”.  

"A proposta do Benfica não é a melhor, mas trouxemos opção de salvação do clube para o Conselho. Em janeiro, Lucas Veríssimo poderá sair de graça”, disse ainda o presidente, referindo-se a verbas que terão de ser pagas ao jogador e que já estão em atraso. 

Orlando Rollo respeita a decisão do Conselho Fiscal, mas critica o ‘chumbo’ do negócio, que “era uma negociação viável 

“O Santos correrá vários riscos e eu ficarei com chapéu na mão, a pedir (…) Não temos como conseguir empréstimo bancário", alertou o dirigente. 

O presidente do Santos abordou ainda que Lucas Veríssimo era também pretendido pelo Al-Nassr e que a proposta dos sauditas era superior, mas esbarrou na vontade do defesa-central, que pretende vestir a camisola do Benfica. 

“O atleta está desgastado desde 2018”, avisou ainda Orlando Rollo, aludindo a sucessivas transferências falhadas por determinação do Conselho Fiscal do Santos.  

"Ontem solicitei uma reunião do Lucas Veríssimo com a Mesa do Conselho e Conselho Fiscal para ele explicar a situação”, esclareceu ainda. 

Orlando Rollo fala de uma “crise estratosférica” e afirma que, se Lucas Veríssimo não for transferido para o Benfica, descarta qualquer responsabilidade nos efeitos financeiros do falhanço negocial.  

O Benfica ofereceu 6,5 milhões de euros, pagos em cinco prestações, com pagamentos previstos até agosto de 2025. Em cada ano, vence uma dessas prestações, sendo que a primeira seria já em dezembro, o que permitiria ao Santos pagar despesas urgentes.