Portugal
Benfica vence Nacional com bis de Gonçalo Ramos 
Redação
2021-05-11 19:50:00
Jesus 'salvo' pelo artilheiro da formação, com Darwin em destaque

O Benfica venceu hoje fora o lanterna-vermelha Nacional, por 3-1, com Gonçalo Ramos a bisar no jogo da 32.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

O Benfica foi para o intervalo a perder com um golo madrugador de Pedrão, logo aos oito minutos, mas deu a volta na parte final do jogo, com um golo do central insultar na própria baliza aos 78 minutos e um ‘bis’ de Gonçalo Ramos no espaço de cinco minutos (81 e 86).

Com este desfecho, a equipa madeirense vê a descida à II Liga cada vez mais perto, enquanto o Benfica se mantém na luta pelo acesso direto à Liga dos Campeões.

O Nacional, a necessitar imperiosamente de vencer para ainda poder acalentar o sonho de se manter na principal divisão do futebol luso, entrou melhor no jogo, mais agressivo e incisivo e logo aos cinco minutos, Pedro Mendes deu o primeiro sinal de perigo.

Três minutos volvidos, Brayan Riascos obrigou Helton Leite a uma grande intervenção. Na sequência do canto, a bola sobrou para o mesmo Brayan Riascos, que com o peito enviou a bola ao poste, surgindo oportuno na recarga Pedrão para inaugurar o marcador.

Todavia, com o decorrer dos minutos, o Benfica foi passando a deter uma maior fatia de domínio do jogo e no espaço de um minuto Seferovic poderia ter restabelecido a igualdade, primeiro a não chegar a tempo a uma assistência de Cervi e depois a cabecear sobre a barra, após um centro de Nuno Tavares.

Mas foi o Nacional quem esteve mais perto de voltar a marcar, à passagem dos 33 minutos, com Éber Bessa a surgir isolado, mas a não conseguir superar Helton Leite.

Insatisfeito com o rendimento da equipa, Jorge Jesus deixou no balneário Cervi, Pedrinho e Chiquinho, lançando Grimaldo, Pizzi e Everton.

Mas foi o Nacional, logo no minuto inicial a desfrutar de uma boa ocasião, com Helton Leite a evitar o golo, após um desvio infeliz de Otamendi.

Contudo, a partir desse momento, o Benfica assumiu as despesas do jogo, com o Nacional a procurar em transições criar problemas à defesa do Benfica.

Jorge Jesus arriscou tudo, com a entrada de Darwin Nuñez em detrimento de Gilberto. A pressão intensificou-se, mas o Nacional mantinha-se equilibrado e compacto.

Mas o Benfica haveria de em pouco tempo dar a volta ao marcador. Aos 78 minutos, Everton centrou e Pedrão desviou para a sua baliza, restabelecendo a igualdade, para dois minutos depois, Gonçalo Ramos consumar a reviravolta no marcador, após assistência de Darwin Nuñez.

O Nacional tentou reagir, mas ofereceu espaços que até aí não tinha concedido e voltou a sofrer um novo golo, num rápido contra-ataque que foi finalizado novamente por Gonçalo Ramos.